quarta-feira, agosto 31, 2005

Charamba 2001

Produtor: Aveleda Soc. Agrícola e Comercial, S.A.
Região: Douro

Aspecto: Cor rubi com alguns castanhos.
Aroma: Intenso, alguns fenóis a marcar e um ligeiro sujo por trás, algumas notas de figo e ervas secas.
Paladar: Bem redondo e sabe ao que cheira, termina um pouco ácido e seco.

Apreciação Global: É um vinho que já não tem por onde fugir, por isso beba-se.
Nota: 13

segunda-feira, agosto 29, 2005

Foral 2000

Produtor: Caves Aliança, S.A.
Região: Douro

Aspecto: Cor rubi jovem para um 2000.
Aroma: Terciários no ataque, com algum tabaco e noz moscada, nota também alguns fenóis, mas no ponto.
Paladar: Já está bem redondo, com a madeira bem casada e os sabores de evolução de garrafa a marcar, tudo bem equilibrado.

Apreciação Global: Está um vinho pronto a beber, com aromas de "bouquet" que o tornam interessante.
Nota: 15

quinta-feira, agosto 25, 2005

Duque de Viseu 2001

Produtor: Sogrape Vinhos, S.A.
Região: Dão

Aspecto: Cor rubi com alguns castanhos.
Aroma: Vinoso, alguma ginja e resina.
Paladar: É leve, os taninos estão já limados e tem uma acidez que transmite frescura.

Apreciação Global: É um vinho que está a evoluir bem, sendo 2001 não o transparece. É um classico do Dão bem limado e de fácil prova.
Nota: 15

quarta-feira, agosto 24, 2005

Cistus 2003

Produtor: Qt. do Vale da Perdiz Soc. Agrícola, Lda.
Região: Douro

Aspecto: Cor rubi viva.
Aroma: Ervas secas, esteva, ligeiramente resinoso e frutos vermelhos.
Paladar: No ataque está a madeira e a fruta surge no final, bem integrada.

Apreciação Global: É um vinho com boa fruta de estilo ligeiro.
Nota: 14

terça-feira, agosto 23, 2005

Vila Régia 2002

Produtor: Sogrape Vinhos, S.A.
Região: Douro

Aspecto: Cor rubi ligeira.
Aroma: Um pouco desiquilibrado, onde o alcool marca, nota alguma fruta mas ligeira.
Paladar: Está bem trabalhado, é redondo e termina doce..

Apreciação Global: É um vinho de combate, fácil, para todos os dias.
Nota: 13

segunda-feira, agosto 22, 2005

À Portuguesa!

Já começou a vindima! Não em todo o país, mas o Ribatejo e o Alentejo já estão a colher. Um fenómeno interessante que acontece sempre nesta altura é que maior parte das adegas que estão a sofrer uma restruturação ou são novas, estão ainda sem cubas, ou o grupo de frio que só vai chegar amanhã, ou então o chão que só foi pintado ontem, ou tudo junto... uma série de acontecimentos que, bem a portuguesa, marcam logo a vindima. Este stress já é habitual para quem anda nestas lides! Será que os outros 11 meses do ano não chegam para restruturar/construir o que quer que seja. Ainda por cima o mês escolhido é aquele em que o País pára!! Parece-me que estamos perante um contrasenso, não? De qualquer forma o que interessa é que as uvas entrem... como são as condições, logo se vê! Porque as uvas não esperam nem os lavradores/viticultores. Para quem está a presenciar tais factos, confiança malta, pois o vinho vai-se fazer na mesma e quando não é como se quer, é como se pode... Boa vindima!

domingo, agosto 21, 2005

Lavradores de Feitoria 2003

Produtor: Lavradores de Feitoria, Vinhos de Quinta, S.A.
Região: Douro

Aspecto: Cor rubi viva.
Aroma: Em primeiro aparece a madeira e notas tostadas, a fruta é muito ligeira e predomina a esteva.
Paladar: É leve, tem alguma fruta na boca e termina curto.

Apreciação Global: É um Douro bem feito, sem defeitos e poucas virtudes.
Nota: 14

terça-feira, agosto 16, 2005

Vinho: Quinta da Lagoalva Castelão & Touriga 2002
Produtor: Soc. Agrícola Quinta da Lagoalva de Cima, S.A.
Região: Regional Ribatejo

Aspecto: Cor rubi média.
Aroma: Vinoso, com cereja e um pouco de erva seca e resina.
Paladar: Vem a fruta na frente é ligeiro, macio e termina um pouco duro.

Apreciação Global: É um vinho simples, bem feito e com poucas arestas.
Nota: 14

terça-feira, agosto 09, 2005

Vinho: Casal da Coelheira 2003 - Silver I.W.Challenge
Produtor: Quinta do Casal da Coelheira
Região: Ribatejo

Aspecto: Cor rubi ligeira.
Aroma: Exuberante, cheio de fruta, notas de especiarias, couro e algum coco com a madeira muito bem integrada. O cabernet sobressai.
Paladar: Ataque aveludado, mas com sabores verdes que desiquilibram com a fruta do nariz, termina um pouco duro e ligeiro.

Apreciação Global: É pena a boca não estar em equilibrio com o nariz, o vinho promete quando cheiramos, mas depois desilude. De qualquer forma é um bom ribatejo a contrariar a fama da região. É um "best buy".
Nota: 15
Preço: 3,50€ "off trade"

segunda-feira, agosto 08, 2005

Vinho: João Pires Tinto 2004
Produtor: José Maria da Fonseca, S.A.
Região: Terras do Sado

Aspecto: Cor rubi leve e jovem.
Aroma: Frutinha fresca, cereja e um ligeiro tostado à mistura com aromas verdes.
Paladar: Frutos vermelhos e alguma tosta e termina curto sem qualquer aresta.

Apreciação Global: Este tinto que nos dizem para beber fresco, prima pela juventude do vinho e melhora nesta época do ano.
Nota: 13,5

Pura Ignorância?!

Aproxima-se mais uma vindima fora do normal, pelo menos é o que dizem! A chuva que não caiu durante o ano está a complicar as zonas mais quentes e claro mais ainda as zonas do país onde ainda não é permitida a rega... vá-se lá saber porquê??? Ou a memória é curta ou então eu, com as poucas vindimas que tenho, sou um azarado ou um sortudo, ainda não sei bem, porque ainda não me passou nas mãos a vindima definida como normal (a não ser quando estive fora de Portugal)!!! Mas, o que será uma vindima normal? Uma vindima com podre nos verde, chuva em Setembro no Dão e paragens de maturação no Douro e Alentejo... Será isto? Nós somos realmente chorões! Nunca é aquilo que queremos, mas não será que o melhor que a natureza tem é a incerteza do que vem (até rima)! Parece é que queremos sempre aquilo que não temos e isso a meu ver é causa de não sabermos o que queremos! Há mais de 100 anos atrás Cincinato da Costa definiu e descreveu castas e regiões do país e mesmo assim há ainda hoje um completo desconhecimento das pessoas do cluster que provoca o que se pode definir como me diziam o outro dia o "achismo", ie, há sempre alguém que acha qualquer coisa! Esta normal ignorância, pois aquilo a que nos habituamos passa a ser normal, provoca alarmismo, histeria e claro falta de objectividade... Organizem-se!!

quarta-feira, agosto 03, 2005

Vinho: Vinha da Palestra 2003
Produtor: Encostas do Douro Soc. Agrícola, S.A.
Região: Douro

Aspecto: Cor rubi fechada.
Aroma: bastante fruta, com baunilha muito presente e ameixa madura.
Paladar: redondo e aveludado, com algum corpo e fica no final sabores doces e tostados.

Apreciação Global: É um vinho pronto a beber, bastante internacional e completo. É sem dúvida um "best buy"
Nota: 15,5
Preço: 2,5€ "off trade"

terça-feira, agosto 02, 2005

Já é hábito!

Mais uma!! Como se não bastasse, a cortiça está de novo fora da nossas mãos. Não, ainda continuamos os maiores produtores do mundo, a questão é outra, mais uma vez as alternativas da fuga ao TCA está fora da nossa alçada. Pois é, uma empresa australiana está na frente do controlo sobre os aromas a mofo transmitidos aos vinhos, que são naturalmente atribuídos às rolhas. Está empresa a ProCork (com alguma colaboração da CTCOR) desenvolveu uma membrana que regula as trocas de água, oxigénio, sabores e aromas a mofo transmitidos pelas rolhas. Esta membrana colocada na rolha, permite ainda que a evolução própria de um vinho vedado com rolha de cortiça se mantenha. Mais, melhora a variação que pode haver devido a evoluções oxidativas. No fundo, o paraíso dos vinhos... ora, se finalmente se consegue juntar o melhor vedante natural, a rolha de cortiça, sem que os factores negativos desta se possam pronunciar, estamos no EDEN... Pode ser que para nós os Tugas esta seja uma das salvações para um sector que tem passado as passas do Algarve. É pena não estarmos nós na frente destas inovações. Mas, isso já é hábito e tardam a chegar as excepções...

segunda-feira, agosto 01, 2005

Vinho: Alandra
Produtor: Finagra, S.A.
Região: Vinho de Mesa

Aspecto: Cor rubi viva ligeiramente aberta.
Aroma: Alguns aromas de oxidação (etanal) e frutos vermelhos.
Paladar: Ligeiro, mas com alguma estrutura e fruta no final.

Apreciação Global: É um vinho em tudo simples.
Nota: 12,5