sexta-feira, abril 22, 2005

A saga dos best sellers...

... Nos tempos em que era mais iletrado nesta questão dos vinhos, não era pouco comum ouvir o meu pai dizer que este ou aquele vinho não lhe “sabia” tão bem, como lhe tinha “sabido” na semana ou mês anterior Na altura achava que o devia ser “impressão” dele por falta de paladar afinado dos dois maços de Marlboro diário ou simplesmente influência das diferentes situações em que tinha provado o vinho. Na realidade ambas são em parte verdade, mas outra verdade também é que nas marcas ditas “best-sellers” com volumes de produção de milhões de garrafas, o vinho que está na garrafa em Março é normalmente diferente do vinho de Abril e ainda mais diferente será do vinho de Junho. Passo a explicar porquê. Para se fazer um engarrafamento é necessário antes fazer o loteamento ou “blend”, que consiste em misturar os diferentes vinhos da adega de castas ou localizações diferentes, de forma a atingir o vinho com o perfil pretendido. Até aqui tudo bem! O vinho tem então que ser transferido para uma ou mais cubas que vão alimentar a linha de engarrafamento. A realidade, é que é logisticamente impossível fazer um lote de 5 milhões de litros igual. As razões são as mais diversas, como: não existem normalmente reservatórios com mais de 250 000 nas adegas; o engarrafamento não é todo feito na mesma altura e por vezes o vinho vai sendo comprado pela adega a outros produtores de acordo com as necessidades. A realidade é que normalmente se tentam fazer vários lotes com características semelhantes e vai-se mantendo, quando há esse cuidado, cerca de 25% do lote anterior. Até aqui ainda tudo, mais ou menos bem! O problema, ou por outra, a falta de honestidade de alguns best-sellers aí da praça, é colocar lotes com característica muito melhores no inicio, na altura de lançamento da nova colheita, de forma a agarrarem o consumidor, e então depois os piores. Depois do consumidor agarrado, altura em que este solta então o comentário “Isto já me “soube” melhor”. A título de experiência comprem duas garrafas de “Montes Idosos 2004” bebam agora um e guardem o outro. Agora até eu gosto, lá para Julho comprem de novo a mesma garrafa e comparem. Para quem quer fugir disto, procurem produtores de volumes mais pequenos que garantem consistência dentro da mesma colheita. O que, para além disso, sempre é mais original.
por António Maçanita

Sem comentários: